Balanço Patrimonial – Setembro 2021

Há um bom tempo eu não fazia o meu balanço patrimonial (2 anos e 5 meses exatamente), mesmo ele não sendo nada complexo se comparado aos demais da finansfera que são cheios de gráficos, cálculos e comparativos mensais (tenho inveja desses caras, confesso!).

Ainda tenho muito o que aprender sobre finanças e afirmo que sou até cru -, por assim dizer – quanto à matemática, acreditem.

Mas o primeiro passo para a mudança é enxergar nossos pontos negativos, então sei onde devo melhorar e tenho um norte a seguir. Agora vem o problema real: mudar. 😀

Vamos às explicações:

  • Conta corrente para pagamento de contas mensais;
  • Poupança para emergências (não é reserva) e extravagâncias quando passamos do limite no mês;
  • Cartão de crédito é a soma de todas as compras realizadas (até mesmo as parceladas, porém com menos de um ano para quitar);
  • Pouco mais de R$ 2.000,00 no cartão de crédito é referente a uma viagem que faremos em família ainda este ano;
  • Cartão de crédito no longo prazo são compras parceladas em mais de 12 vezes (é raro fazermos isso mas pode acontecer).

That’s all folks!

Balanço Patrimonial – Dez/18

E aí, pessoal!

2018 quase chegando ao fim e cá estou com meu balanço patrimonial.

Confesso que não gosto de final de ano somente por lembrar em ter que dar presente aos parentes! Chato, mão de vaca… fique à vontade para indicar outros adjetivos! 😘 Confesso, também, que não faço questão de receber, acho que é meio óbvio, né? Então, que tal um acordo: sem presentes e mais presença? Todos reunidos visando apenas a confraternização, a paz, a amizade, a prosperidade, a união…

Verão que as compras com cartões diminuíram bastante, exceto por um treinamento que comprei e irá trazer bons frutos. Amen!

Outro detalhe é que meses atrás havia pego R$ 930,00 com meu pai para uma urgência e só agora eu lembrei de pagá-lo, então coloquei aqui nos passivos. Como meu pai não está esquentando nada com isso e nem cobra juros 🤗 a ideia é quitar até meio de 2019 🙊 R$ 100,00 já foi! rs.

Continuar lendo Balanço Patrimonial – Dez/18

Balanço Patrimonial – Nov/18

Segue balanço referente a novembro/2018.

A novidade é que peguei um trabalho extra para fazer o que ocasionou em grana nova.

Retirei a divisão entre os investimentos (Selic, IPCA, CDB…) e reuni tudo apenas em “Renda Fixa” e “Renda Variável” (que em breve pretendo alocar recursos).

Ah! A meta em zerar os cartões continuam.

Neste final de ano pretendo investir algo entre 5~7k sendo 40/60 (fixa e variável). Como já tenho um montante em renda fixa vou arriscar mais na variável.

Abs e bons investimentos 🙂

That’s all folks!

Balanço Patrimonial – Jun/18

Após ouvir bastante este termo em cursos e também em outros locais na internet, resolvi finalmente dedicar um tempo – ínfimo se comparado ao tempo procrastinado – para fazer o meu Balanço Patrimonial.

A iniciativa surgiu após eu realizar um curso gratuito sobre Finanças Pessoais através da plataforma ead (ensino a distância) XP Educação, da corretora XP Investimentos. O instrutor Sílvio Hilgert possui uma ótima didática de ensino, o que não deixa o treinamento cansativo, muito pelo contrário, você não vê o tempo passar e aprende com entusiasmo o conteúdo repassado.

Continuar lendo Balanço Patrimonial – Jun/18

Onde tudo começou…

O ano é 2017.

De tanto ouvir alguns colegas falarem mal da poupança e de como ela estava rendendo pouco, além dos mesmos sempre afirmarem com veemência que o Tesouro Direito “é o que há”, resolvi correr atrás do conhecimento para tirar minhas próprias conclusões, visto que, QUASE TODOS – com exceção de apenas um colega – eram como papagaio de pirata: só repetiam o que ouviam e nunca sequer haviam realmente investido!

Estava cansado de ouvir muitos deles falarem sobre o TD (Tesouro Direito) e, quando eu perguntava algo à respeito eles simplesmente mudavam de assunto ou ficavam enrolando e enrolando.

E foi assim que em 2017, mais precisamente em março daquele ano que eu abri minha conta em uma corretora (por indicação desse colega da exceção que eu comentei acima). Nela e em muitas outras corretoras não há taxas para investimentos em Tesouro Direto/Renda Fixa, o que atrai o público que busca garantir um retorno sem levar em consideração qualquer possível taxa de corretagem.

Continuar lendo Onde tudo começou…