Balanço Patrimonial – Setembro 2021

Há um bom tempo eu não fazia o meu balanço patrimonial (2 anos e 5 meses exatamente), mesmo ele não sendo nada complexo se comparado aos demais da finansfera que são cheios de gráficos, cálculos e comparativos mensais (tenho inveja desses caras, confesso!).

Ainda tenho muito o que aprender sobre finanças e afirmo que sou até cru -, por assim dizer – quanto à matemática, acreditem.

Mas o primeiro passo para a mudança é enxergar nossos pontos negativos, então sei onde devo melhorar e tenho um norte a seguir. Agora vem o problema real: mudar. 😀

Vamos às explicações:

  • Conta corrente para pagamento de contas mensais;
  • Poupança para emergências (não é reserva) e extravagâncias quando passamos do limite no mês;
  • Cartão de crédito é a soma de todas as compras realizadas (até mesmo as parceladas, porém com menos de um ano para quitar);
  • Pouco mais de R$ 2.000,00 no cartão de crédito é referente a uma viagem que faremos em família ainda este ano;
  • Cartão de crédito no longo prazo são compras parceladas em mais de 12 vezes (é raro fazermos isso mas pode acontecer).

That’s all folks!

Compra para terceiros no cartão de crédito – Vantagem ou cilada?

Duvido que algum dos leitores nunca foi solicitado a emprestar o cartão de crédito para uma compra de terceiros! Ah, esqueci que você pode não ter cartão, mestre! 😀

Que seja realmente emprestando o cartão pessoalmente OU fazendo uma compra para a pessoa – em uma loja, internet etc.

As duas formas são péssimas, claro! Mas ao menos na segunda opção você ainda tem um certo controle sobre a compra e valor, diferentemente de emprestar o cartão para uma possível compra de R$ 500,00, por exemplo, e no final do dia constar muito mais do que isso na sua fatura. E agora, José?

Já fez uma compra hoje – no seu cartão! – para alguém?

Comigo já aconteceu e não foram poucas vezes, limitando-se apenas aos parentes (amigos e “colegas” nunca pediram, graças a Deus). O problema disso é que após a primeira vez “já era”; perdeu a virgindade e daqui a pouco vai perder o cartão também.

Você usa o seu cartão “com todo o cuidado” e aí vem um descontrolado que não tem um mísero cartão – ou se tem, há o limite de R$ 100,00 no “roxinho”, – reflexo de toda incompetência financeira da sua vida, na maioria das vezes. Então a pessoa que sempre atrasou faturas e está “fudido” com as finanças vem te pedir para fazer uma compra no SEU CARTÃO?! Pode isso???

Como disse lá em cima, após a primeira vez isso irá virar rotina, e se você não tiver pulso firme poderá lhe trazer problemas (ÓBVIO!), sejam familiares, mentais e, principalmente, financeiros.

Já disse aqui em casa para a esposa que não quero mais que fulano, ciclano e beltrano me peçam para comprar nada; um desses já atrasou fatura comigo a anos atrás, mas agora está “andando direito”. Os demais sempre pagam, mas às vezes tenho que ficar lembrando: “Ow, dia X está chegando, você me deve R$ X e tenho que pagar a fatura! “. Também há o sofrimento do possível não pagamento…

Vantagens?

Será que posso dizer que pontuação no cartão é vantagem diante de certo stress e risco de não receber? É piada, né?! 😀

Como disse antes atualmente ninguém fura comigo o pagamento, mas gera aquelas dúvidas mensalmente: Será que vai atrasar? Será que vai pagar? Será que vou precisar lembrar?

Mesmo que não me paguem no dia eu sempre pago a fatura, é ÓBVIO, meu caro Watson! E depois recebo deles (querendo cobrar juros dignos dos bancos).

Juros dignos dos bancos.

De volta a “vantagem” já troquei pontos em quase R$ 800,00 de produtos em pouco mais de 1 ano.

Agora estou pensando é na desculpa que posso dar para cortar de vez o mal pela raiz, e estou aceitando sugestões! 🙂

O mais engraçado disso tudo é que não temos obrigação alguma de fazer isso, mas se por acaso você negar, a pessoa ainda “vira as costas” para você… E você aproveita e dá um pontapé na bunda e manda ela pra longe para que nunca mais volte! 😀

That’s all folks!

Balanço Patrimonial – Jan/19

E aí, pessoal!

Como passaram a virada do ano? Espero que tenha corrido tudo bem!

Segue o balanço referente a janeiro de 2019.

Acatei a sugestão do Diário de um Poupador e passei as dívidas (compras parceladas) em cartão para o Exigível no longo prazo (mesmo sendo inferiores a 1 ano).

Tão logo irei criar alguns gráficos com mais detalhes visuais, o que irá ajudar na leitura dos dados de maneira mais intuitiva, além de vermos facilmente o progresso ao longo do tempo.

Este mês enviei para corretora R$ 500,00 e retirei R$ 598,19 do TD Selic; com o total adquiri 200 ações da BEEF3 (Minerva Foods) conforme verão a seguir.

Continuar lendo Balanço Patrimonial – Jan/19

Balanço Patrimonial – Ago/18

Olá, pessoal!

Sim, eu desapareci por um bom tempo novamente… Infelizmente e sem motivo aparente, apenas a correria do dia a dia.

Sem grandes novidades no front. Andei me capacitando na área através de cursos pela internet; estou melhorando meu vocabulário através da leitura e evitando vícios de linguagem… sendo o ser humano melhor que o de ontem foi.

E para um pai, acredito veementemente que o melhor que posso deixar para o meu filho são os bons exemplos e o conhecimento. Com isso ele conseguirá qualquer coisa em sua vida!

Continuar lendo Balanço Patrimonial – Ago/18

Balanço Patrimonial – Jul/18

Olá, pessoal!

Sumi por alguns dias devido a não sei por quê (!), mas creio que a maioria que cria um blog sempre passa por isso, então tenho como meta publicar ao menos um post por semana. Prometo!

Como deu para perceber no Balanço Patrimonial passado e em outro post já comentado, o cartão de crédito é um vilão para mim ao qual já estou ciente e determinado a derrota-lo; lembrando que isso nunca me deixou com nome no SPC/Serasa e coisas do tipo, mas também me impossibilitou de criar ativos e riqueza.

Vamos aos números:

Continuar lendo Balanço Patrimonial – Jul/18

Cartão de crédito: vilão ou amigo?

Acredito que se uma pessoa possuir apenas um cartão de crédito hoje em dia será algo raro, afinal os bancos e financeiras querem que você se endivide e pague cada vez mais juros, então serão sempre gratos por sua falta de educação financeira. Com isso, é natural que essas instituições enviem cartões em demasia e sem o seu devido consentimento.

E o quê isso gera? Um total descontrole financeiro pela maioria das pessoas, já que creem que são dignas de tal recebimento, “pois se o banco/financeira lhes enviou um novo cartão é porque essa pessoa é um ótimo cliente!” HAHAHAHA

Iludida é a pessoa que (ainda) pensa dessa forma e não imagina como o sistema realmente funciona. Bancos e financeiras não estão nem aí para o que você deseja comprar e pagar, ou melhor, estão sim querendo que você compre, compre e compre, mas que não dê conta de pagar, já que aí sim irão ganhar com os juros por atraso e/ou com o pagamento mínimo da fatura.

Não gaste mais do que ganha

A regra número 1 para quem deseja investir e ter suas finanças com saúde é tão simples quanto andar: não gastar mais do que você ganha. Pode parecer óbvio mas é onde a maioria das pessoas se perdem, – e eu confesso que me incluo aí, porém já estou tomando definitivamente as rédeas do meu dinheiro.

cartoes-de-credito
Nunca utilizei (desbloqueei) mais do que 2 cartões.

Continuar lendo Cartão de crédito: vilão ou amigo?