Compra para terceiros no cartão de crédito – Vantagem ou cilada?

Duvido que algum dos leitores nunca foi solicitado a emprestar o cartão de crédito para uma compra de terceiros! Ah, esqueci que você pode não ter cartão, mestre! 😀

Que seja realmente emprestando o cartão pessoalmente OU fazendo uma compra para a pessoa – em uma loja, internet etc.

As duas formas são péssimas, claro! Mas ao menos na segunda opção você ainda tem um certo controle sobre a compra e valor, diferentemente de emprestar o cartão para uma possível compra de R$ 500,00, por exemplo, e no final do dia constar muito mais do que isso na sua fatura. E agora, José?

Já fez uma compra hoje – no seu cartão! – para alguém?

Comigo já aconteceu e não foram poucas vezes, limitando-se apenas aos parentes (amigos e “colegas” nunca pediram, graças a Deus). O problema disso é que após a primeira vez “já era”; perdeu a virgindade e daqui a pouco vai perder o cartão também.

Você usa o seu cartão “com todo o cuidado” e aí vem um descontrolado que não tem um mísero cartão – ou se tem, há o limite de R$ 100,00 no “roxinho”, – reflexo de toda incompetência financeira da sua vida, na maioria das vezes. Então a pessoa que sempre atrasou faturas e está “fudido” com as finanças vem te pedir para fazer uma compra no SEU CARTÃO?! Pode isso???

Como disse lá em cima, após a primeira vez isso irá virar rotina, e se você não tiver pulso firme poderá lhe trazer problemas (ÓBVIO!), sejam familiares, mentais e, principalmente, financeiros.

Já disse aqui em casa para a esposa que não quero mais que fulano, ciclano e beltrano me peçam para comprar nada; um desses já atrasou fatura comigo a anos atrás, mas agora está “andando direito”. Os demais sempre pagam, mas às vezes tenho que ficar lembrando: “Ow, dia X está chegando, você me deve R$ X e tenho que pagar a fatura! “. Também há o sofrimento do possível não pagamento…

Vantagens?

Será que posso dizer que pontuação no cartão é vantagem diante de certo stress e risco de não receber? É piada, né?! 😀

Como disse antes atualmente ninguém fura comigo o pagamento, mas gera aquelas dúvidas mensalmente: Será que vai atrasar? Será que vai pagar? Será que vou precisar lembrar?

Mesmo que não me paguem no dia eu sempre pago a fatura, é ÓBVIO, meu caro Watson! E depois recebo deles (querendo cobrar juros dignos dos bancos).

Juros dignos dos bancos.

De volta a “vantagem” já troquei pontos em quase R$ 800,00 de produtos em pouco mais de 1 ano.

Agora estou pensando é na desculpa que posso dar para cortar de vez o mal pela raiz, e estou aceitando sugestões! 🙂

O mais engraçado disso tudo é que não temos obrigação alguma de fazer isso, mas se por acaso você negar, a pessoa ainda “vira as costas” para você… E você aproveita e dá um pontapé na bunda e manda ela pra longe para que nunca mais volte! 😀

That’s all folks!

E seus investimentos P2P?

Após o que considero o “boom” dos investimentos P2P (~ 2019), como andam seus investimentos desse tipo? Prejuízos? Lucros?

Nessa época investi R$ 1000,00 (sabendo dos riscos, claro) em uma operação que prometia por volta de 420% do CDI, estimando um retorno anual de 27,72%/ano e com prazo previsto de cerca de 18 meses.

P2P

Se não me engano o score da empresa era C1 (de acordo com a régua da empresa que fazia a intermediação); acabei “investindo” para conhecer o processo e tentando ganhar algo além do esperado (sim, novamente, já sabendo dos riscos – logo, podendo ganhar ou perder). Antes que eu esqueça, na época C1 era a pontuação “melhor” que tinha na plataforma em questão, ou melhor, que havia para investir, pois as que possuíam pontuação A e B já haviam alcançado o valor que precisavam.

Após as devidas explicações, minha situação atual é:

  • “Recuperei” até então R$ 800,00 e poucos reais;
  • Último pagamento seguindo o cronograma foi realizado pela empresa devedora em 2020;
  • Houveram acordos etc., entre a empresa que faz a intermediação e a empresa devedora;
  • Em 2021 houveram por volta de 3 pagamentos (após acordos);
  • E ainda restam mais de 15 parcelas para receber.

EDIT: Não podemos esquecer da crise (COVID) que “bagunçou” o mundo/economia, sendo a maioria os pequenos empreendedores.

That’s all folks!

Feedly para acompanhar todos os blogs

Hoje em dia é praticamente impossível acompanhar todas as notícias, blogs etc, concorda?

Para tentar resolver isso passei a utilizar o Feedly, uma ferramenta bastante útil para concentrar todos seus feeds em um único lugar, receber um resumo de cada um deles, criar categorias, salvar determinado post para ler depois, dentre outros recursos.

Interface do Feedly

Sou do tempo do Feedburner, mas um tempasso atrás a Google disse que iria encerrá-lo, porém parece que voltaram atrás e agora optaram por atualizá-lo.

That’s all folks!

Não morri (ainda)

Espero que todos estejam bem, mesmo diante de tudo que já aconteceu e continua acontecendo (mesmo que em um menor nível) nestes praticamente 2 últimos anos.

Meu último post foi em julho/19 e de lá pra cá muitas coisas aconteceram – igual acontece com a maioria das pessoas e não nos importamos e vamos vivendo (ou sobrevivendo) dia após dia.

Vou colocar ordem nas “coisas da casa” e voltar a publicar por aqui, nem que seja ao menos 1 vez por mês.

Às vezes é díficil publicar algo e tentar não dar tantos detalhes da vida pessoal (por questão de segurança, óbvio). Por exemplo, o que faço cotidianamente, investimentos que possuo, trabalho, lazer, livros que estou lendo etc etc etc, tudo isso acaba se tornando um grande quebra-cabeça por aqui, mas que se algum conhecido juntar as peças irá acabar decifrando a imagem final, e que, no caso, será EU.

Tento diversificar os temas que posto para não ficar tão massante só com publicação de balanço mensal (não critico os que o fazem e admiro sua determinação), além de chamar a atenção dos demais usuários outros assuntos que julgo serem interessantes compartilhar.

That’s all folks!