Abrir o próprio negócio

Quem é do meu círculo social já me ouviu dizer muitas vezes que não me vejo fazendo o que faço hoje por muito tempo, sendo que o prazo máximo pode chegar a 5 anos. Como estou na casa dos 30, isso pode ser o efeito da famosa “crise dos 30”, ou não.

Continuar lendo Abrir o próprio negócio

Tupperware: vale ou não a pena ter uma(s)?

Hoje aconteceu algo que me estressou um pouco, principalmente por eu já andar “com os cabelos em pé” devido ao recebimento do salário e ser, ainda, “obrigado” a sacar parte do TD Selic para conseguir pagar as contas, logo, estou gastando mais do que ganho.

Tudo bem! Já tenho ciência que isso vem ocorrendo a um bom tempo e hoje avisei minha esposa que vamos conversar a respeito disso, já que ao acordar ela me disse que o seu perfume do dia-a-dia havia acabado e que eu poderia lhe dar outro de dia dos namorados… DIA DOS NAMORADOS! NA-MO-RA-DOS.

“Somos casados, então esqueça isso!”, falei com ela em pensamento.

smiling-couple-walking-on-the-beach-with-a-bouquet-of-roses-at-sunset_23-2147595923

Continuar lendo Tupperware: vale ou não a pena ter uma(s)?

Balanço Patrimonial – Jun/18

Após ouvir bastante este termo em cursos e também em outros locais na internet, resolvi finalmente dedicar um tempo – ínfimo se comparado ao tempo procrastinado – para fazer o meu Balanço Patrimonial.

A iniciativa surgiu após eu realizar um curso gratuito sobre Finanças Pessoais através da plataforma ead (ensino a distância) XP Educação, da corretora XP Investimentos. O instrutor Sílvio Hilgert possui uma ótima didática de ensino, o que não deixa o treinamento cansativo, muito pelo contrário, você não vê o tempo passar e aprende com entusiasmo o conteúdo repassado.

Continuar lendo Balanço Patrimonial – Jun/18

Cartão de crédito: vilão ou amigo?

Acredito que se uma pessoa possuir apenas um cartão de crédito hoje em dia será algo raro, afinal os bancos e financeiras querem que você se endivide e pague cada vez mais juros, então serão sempre gratos por sua falta de educação financeira. Com isso, é natural que essas instituições enviem cartões em demasia e sem o seu devido consentimento.

E o quê isso gera? Um total descontrole financeiro pela maioria das pessoas, já que creem que são dignas de tal recebimento, “pois se o banco/financeira lhes enviou um novo cartão é porque essa pessoa é um ótimo cliente!” HAHAHAHA

Iludida é a pessoa que (ainda) pensa dessa forma e não imagina como o sistema realmente funciona. Bancos e financeiras não estão nem aí para o que você deseja comprar e pagar, ou melhor, estão sim querendo que você compre, compre e compre, mas que não dê conta de pagar, já que aí sim irão ganhar com os juros por atraso e/ou com o pagamento mínimo da fatura.

Não gaste mais do que ganha

A regra número 1 para quem deseja investir e ter suas finanças com saúde é tão simples quanto andar: não gastar mais do que você ganha. Pode parecer óbvio mas é onde a maioria das pessoas se perdem, – e eu confesso que me incluo aí, porém já estou tomando definitivamente as rédeas do meu dinheiro.

cartoes-de-credito
Nunca utilizei (desbloqueei) mais do que 2 cartões.

Continuar lendo Cartão de crédito: vilão ou amigo?